quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Receção aos(às) aluno(a)s de 5.º ano na Escola Sede com novo formato

 

Mais um ano letivo que começou. Para cerca de 180 aluno(a)s, o dia 13 de setembro ficará guardado nas suas memórias como o dia em que se tornaram aluno(a)s da “Escola dos Grandes”. São muitas as mudanças na vida destas crianças e algumas delas são bastante drásticas. No sentido de minimizar o impacto dessas mudanças, a equipa operacional responsável pela Ação de Melhoria “Generalizar e consolidar as práticas de articulação horizontal e vertical” propôs a organização de uma receção aos(às) aluno(a)s do 5.º ano na Escola Básica e Secundária de Gama Barros. Assim, um grupo multidisciplinar de docentes (de Ciências Naturais, de Física e de Química, de Educação Física e ainda a professora bibliotecária e as psicólogas da Escola) prepararam um conjunto de atividades para dar a conhecer a escola a estes alunos, mas também alguns dos seus projetos.

Deste modo, pais/encarregados de educação e aluno(a)s dirigiram-se para o Auditório, à hora marcada para cada uma das turmas. Para evitar ajuntamentos, cada turma foi recebida com intervalos de 90 minutos pelo que tudo começou às 8:30 e terminou já depois das 19:00.

O que os alunos e as alunas não esperavam é que este primeiro dia na escola dos crescidos ia ser bem animado e cheio de surpresas. Assim, enquanto os pais/encarregados de educação ficaram reunidos com o(a) diretor(a) de turma, os seus filhos/educandos realizaram uma “viagem” pela escola.

A 1.ª paragem foi no Refeitório/Bar. Os alunos e as alunas foram convidado(a)s a “criar” pequenos lanches saudáveis a partir de uma série de alimentos que foram disponibilizados. E, nunca esquecendo que a nossa é uma Eco-escola, houve também um momento de sensibilização sobre a importância de utilizarmos, por exemplo, sacos de tecido para acondicionar os lanches, e garrafas reutilizáveis para a água ou para o chá. Os nossos alunos pareceram estar muito bem informados sobre hábitos alimentares saudáveis e muito disponíveis para repensar algumas práticas menos aconselháveis.






A 2.ª paragem foi nos laboratórios de Física e de Química onde os docentes deste grupo disciplinar os surpreenderam com uma série de pequenas experiências relativas a esta área do conhecimento humano. O(a)s aluno(a)s ficaram deslumbrado(a)s com alguns fenómenos que pareciam magia mas, na verdade, tinham uma explicação científica.






 A 3.ª paragem realizou-se no pavilhão Gimno-desportivo. Nunca esquecendo os necessários cuidados de higienização das mãos, e aqui também do calçado, o(a)s aluno(a)s foram convidado(a)s e interagir e a experimentar várias modalidades desportivas, nomeadamente algumas das que poderão vir a praticar no âmbito do Desporto Escolar.






A visita estava quase no fim. A última paragem foi na Biblioteca Escolar. Aí já os aguardavam os pais/encarregados de educação. Estes ficaram a conhecer este espaço da escola e alguns dos seus projetos, nomeadamente o “10 minutos a ler”, que foram apresentados pela professora bibliotecária.

Mas, seguindo um velho ditado Romano, é fundamental uma “Mens sana in corpore sano”. Assim, as psicólogas Carla Marques e Inês Silva criaram um “Quantos Queres?” que foi oferecido a todo(a)s o(a)s aluno(a)s com o objetivo (de entre outros) de promover momentos de partilha entre pais e filhos.



Esse objeto era um dos que integrava o “Kit de Receção” que foi oferecido a cada um(a) do(a)s aluno(a)s. Uma vez mais, os princípios de uma Eco-escola foram respeitados e estes kits foram construídos utilizando frascos que foram sendo recolhidos junto do corpo docente e que, deste modo, foram reutilizados. Desse “Kit” fazia parte um folheto com “Dicas para obter sucesso na escola”, o conto de José Saramago “A Maior Flor do Mundo”, um panfleto com as diversas modalidades do Desporto Escolar, um marcador de livros com pequenas notas sobre a importância da leitura em família, o “Quantos queres?”, um pacote de chá para tornar o momento de leitura mais aconchegante, e ainda, uma peça de fruta oferecida pelo supermercado Modelo/Continente do Cacém que assim se associou à nossa tarefa de promoção de hábitos alimentares saudáveis.








Muito obrigada a todo(a)s aquele(a)s que tornaram possível esta receção, quer na sua preparação, quer na sua realização.

Para os alunos e para as alunas só nos resta reforçar os nossos votos de que se sintam felizes na Escola Básica e Secundária de Gama Barros nos próximos 8 anos.

Para já, um excelente ano letivo de 2021/2022 para todo(a)s!


 


Biblioteca Escolar cria novo painel de boas-vindas à comunidade escolar

 


Um novo ano letivo está a começar! Muitos são os desafios que se nos colocam. A todos - professores, alunos, direção da escola…

Naquele que já vai ser o 3.º ano letivo sob efeito da pandemia por Covid-19, é desejo de todos que consigamos manter-nos em ensino presencial e que o número e a gravidade dos casos diminuam.

A Biblioteca Escolar (BE), uma vez mais, tentou transmitir a todos e a todas uma mensagem positiva de boas-vindas através de um novo painel criado pela professora bibliotecária, Filomena Lima, e pelo professor da equipa da BE, Pedro Vidal.

Num ano em que vamos iniciar um novo projeto – o “10 minutos a ler”, esperamos que toda a comunidade escolar tenha tido saudades dos livros e que, assim, os procure na biblioteca escolar e se delicie com algumas das novidades que temos à vossa espera.

Um excelente ano letivo para todo(a)s com muitas e boas leituras... para que os livros não sintam a vossa falta!

A professora bibliotecária,

Filomena Lima

 


domingo, 20 de junho de 2021

“Piratas à solta” na Biblioteca Escolar




Parece estranho, não parece? Mas é verdade.

A propósito do livro “Os Piratas” de Manuel António Pina, a professora bibliotecária desafia os alunos a descobrirem vários segredos sobre o mundo da pirataria.

A atividade começa com a leitura de excertos da 1.ª cena desta peça de teatro. A dúvida da personagem Ana sobre a origem do lenço vermelho suscita uma breve reflexão sobre a pirataria no século XXI, nomeadamente a pirataria informática, mas também a pirataria praticada ao largo da Somália, por exemplo.

O verdadeiro desafio começa quando os alunos são convidados a escolher um objeto relacionado com o mundo dos piratas, de entre os que se encontram dentro de um baú. Uma Bandeira, um barco, um código pirata, uma garrafa de rum, um lenço de pirata, uma bolsa com moedas de “ouro”, uma bússola, um mapa do tesouro…são alguns dos objetos à escolha. O que os alunos ainda não sabem é que terão de descobrir o segredo ligado a cada um destes objetos, transmiti-lo ao seu colega de grupo e reproduzi-lo, por escrito, tal como ele foi “encontrado”.

Uma atividade que treina a leitura silenciosa, a leitura em voz alta, a escrita… e põe à prova a capacidade de concentração, a memória e a rapidez da leitura à mistura com muito movimento e animação.

No final, apuram-se os vencedores e procuram-se, dentro de um pequeno baú de madeira trazido de um velho navio pirata, algumas “moedas de ouro ou de prata” para premiar os vencedores – verdadeiros piratas ou talvez não?

Aqui ficam as fotos das equipas vencedoras em cada uma das turmas de 6.º ano:








quinta-feira, 10 de junho de 2021

Dia de Camões - Queres saber mais sobre o grande poeta português?

Sabes quem foi Luís Vaz de Camões?

Sabes por que razão se assinala hoje, dia 10 de junho, o dia de Camões?

Conheces alguns factos da sua vida e obra?

Aqui ficam duas sugestões em formato de vídeo, uma para os mais crescidos, e outra para os mais jovens, sobre aquele que é considerado um dos maiores poetas portugueses.

Clica no link para acederes ao vídeo do programa Zig Zag sobre Camões:

https://media.rtp.pt/zigzag/videos/luis-vaz-camoes-biografia/



Dia 8 de junho - Dia Mundial dos Oceanos - Alunos do 8.º 7.ª criam filme para mudar comportamentos e mentalidades

A importância de poupar água

Em 2008, as Nações Unidas decidiram que o dia 8 de junho passaria a ser designado como o Dia Mundial dos Oceanos.

O contributo individual é fundamental para preservar este bem, essencial à vida. Os oceanos: vida e subsistência é o tema deste ano.  

Com o objetivo de sensibilizar para a importância de gerir o consumo de água de forma sustentável, o aluno Rafael Carvalho, da turma 7.ª do 8.º ano, envolveu com entusiasmo alguns alunos da turma que contribuíram com mensagens informativas e de sensibilização. Como produto final foi elaborado um pequeno filme que pretende passar uma mensagem de urgência na mudança de atitudes e relembrar que qualquer um de nós, de qualquer idade, pode adotar comportamentos de poupança de água. Está ao nosso alcance “poupar até à última gota…”  

Rafael Carvalho, 8.º 7.ª

segunda-feira, 7 de junho de 2021

Concurso de Ortografia - Estão apurados os vencedores!

 

Os vencedores das Ortografíadas 2020/2021. 
Parabéns à Bianca, à Inês e ao Pedro!!!

Este ano letivo, a Biblioteca Escolar dinamizou, uma vez mais, o concurso de ortografia, desta vez para os alunos do 9.º ano.

Participaram neste concurso cerca de 150 alunos. Apenas os alunos da turma 2.ª não estiveram envolvidos nesta atividade por se encontrarem em confinamento quando se realizou a 1.ª fase. O concurso desenvolveu-se em três fases no decurso das quais foram sendo apurados os melhores alunos.

Na 1.ª fase, o texto selecionado foi um excerto de A Aia de Eça de Queirós, na 2.ª fase, o texto escolhido foi um excerto de O Dia Cinzento e Outros Contos de Mário Dionísio e, finalmente, para a 3.ª fase o texto eleito foi um excerto de Maria Moisés, de Camilo Castelo Branco.

Passaram à última fase 10 alunos, a saber:

- Matilde Borges (9.º 1.ª);

- Filipe Braga (9.º 3.ª);

- Matilde Brandão (9.º 3.ª);

- Pedro Méren (9.º 3.ª);

- Patrícia Miclea (9.º 6.ª);

- Afonso Duarte (9.º 7.ª);

- Bianca Miranda (9.º 7.ª);

- Inês Fernandes (9.º 7.ª);

- Lara Machado (9.º 7.ª);

- Matilde Colaço (9.º 7.ª).

 

De entre estes alunos, saíram vitoriosos a aluna Bianca Miranda (1.º lugar), e os alunos Pedro Méren e Inês Fernandes que ficaram em 2.º lugar ex aequo.

Todos eles deram provas de dominar algumas particularidades da ortografia portuguesa, sobretudo tendo em conta o grau considerável de dificuldade da prova da última fase.

Muitos parabéns a todos!

Os três alunos vencedores receberam um Certificado de participação e um livro que, certamente, contribuirá para consolidar o seu gosto pela leitura e pela escrita e o seu conhecimento da Língua Portuguesa.  

Agradeço às docentes de Português Fernanda Gomes, Sílvia Nogueira e Virginie Andrade que colaboraram nesta iniciativa. 

Os finalistas do Concurso de Ortografia 2020/2021

Ainda a propósito das atividades sobre o Coração

 


Se estás no 6.º ano e participaste na atividade dinamizada na Biblioteca Escolar “Virtual Heart”, ou se gostas de Ciências e te interessas pelo funcionamento do corpo humano, em particular do coração, não percas estes vídeos que te facultam muita informação interessante sobre este assunto.

Maio - Mês do coração assinalado na Biblioteca Escolar

 

O mês de maio chegou ao fim e com ele terminaram também as atividades sobre o coração dinamizadas na Biblioteca Escolar, para todas as turmas de 6.º ano, em parceria com os docentes de Ciências Naturais.

As atividades pretendem promover a literacia digital através da exploração da App “Virtual Heart” que, tal como o nome indica, tenta replicar um coração humano em funcionamento. Assim, pode-se observar e ouvir as válvulas a abrir e a fechar, ver a circulação do sangue venoso e do sangue arterial e, até, manipular o número de batimentos cardíacos. Num momento em que as atividades laboratoriais para os 5.º e 6.º anos estão suspensas pelo facto de o Exploratório não estar a funcionar devido à pandemia, esta aplicação permite também ver o coração como se ele fosse dissecado e assim observar com pormenor a sua morfofisiologia.

De entre as várias tarefas propostas aos alunos no âmbito desta atividade, destaca-se também a análise e interpretação de um gráfico que traduz a variação do número de batimentos cardíacos por minuto em função do sexo e da idade de um indivíduo.

Os alunos fizeram uma avaliação muito boa desta atividade destacando nos pontos positivos o facto de conseguirem aumentar, ainda mais, os seus conhecimentos sobre o coração.  

 









domingo, 6 de junho de 2021

6 de junho de 1939 - um triste caso de indiferença face a várias centenas de refugiados


A bordo do Saint Louis
A menina assinalada na foto, Eva Dublon, acabou por morrer em Auschwitz 


Partida do Navio Saint Louis de Regresso à Europa

 

“O Saint Louis era um navio transatlântico alemão que fazia a ligação regular entre Hamburgo, Nova Iorque e o Canadá. Ao final desse dia, o capitão Gustav Schroder deu ordem de partida, depois de ter aguardado alguns dias ao largo de Cuba e da costa dos EUA. Este evento não teria relevância especial, se o navio não transportasse mais de 900 judeus fugidos da Alemanha nazi que eram agora forçados a voltar à Europa. A viagem tinha como destino Cuba, onde os refugiados esperavam obter asilo. Porém, tanto este país como os EUA e o Canadá recusaram-se a acolhê-los, num compasso de espera que durou mais de uma semana. Com os abastecimentos a escassear e sem qualquer solução à vista, não lhes restava outra saída senão iniciar a viagem de regresso.

         O navio tinha chegado a Havana a 27 de maio, mas foi mantido à distância e impedido de se aproximar da zona das docas. O governo cubano tinha subitamente encerrado as suas fronteiras e invalidado todos os vistos de entrada emitidos antes do dia 5 desse mês. Assim, a esmagadora maioria dos passageiros do Saint Louis não pôde entrar e só 28 foram autorizados a desembarcar. O navio rumou então à costa norte-americana, mas nem os EUA nem o Canadá aceitaram receber os passageiros, porque nenhum destes países queria criar um precedente que abrisse a porta a um afluxo maciço de refugiados judeus.

          O capitão Schroder regressou à Europa, mas recusou devolver os passageiros à Alemanha. No dia 17, o Saint Louis chegou a Antuérpia e os passageiros foram distribuídos entre Reino Unido, Bélgica, França e Países Baixos. Com o início da guerra, pouco depois, a maior parte ficou novamente em risco e sabe-se hoje que mais de duas centenas e meia morreram nos anos seguintes, a maioria em campos de concentração nazis. O Saint Louis é frequentemente evocado como um exemplo da insensibilidade das políticas de imigração de muitos estados, que levantam todo o tipo de obstáculos e barreiras ao acolhimento e circulação de refugiados.”

Pinto. P. (2020). Partida do Navio Saint Louis de Regresso à Europa. In Os Dias da História – 365 episódios de Portugal e do Mundo (p. 171). Barcarena: Editorial Presença.




segunda-feira, 31 de maio de 2021

Sessão de leitura do livro "O Lápis Mágico de Malala" assinala o Dia Mundial da Criança na Biblioteca

 


Amanhã, dia 1 de junho, assinala-se o Dia Mundial da Criança. Este dia foi estabelecido oficialmente em 1950 na sequência do congresso da Federação Democrática Internacional das Mulheres, realizado em 1949, em Paris. Portugal, à semelhança de vários países, adotou este dia para celebrar o Dia da Criança com o objetivo de sensibilizar toda a comunidade para os direitos das crianças e para a necessidade de promover uma melhoria das suas condições de vida, tendo em vista o seu pleno desenvolvimento.

A Biblioteca Escolar decidiu assinalar esta data com uma sessão de leitura do livro “O Lápis Mágico de Malala”. A sessão destina-se prioritariamente aos alunos do 5.º ano e pretende, não só dar a conhecer a história da jovem Paquistanesa, mas também sensibilizar as crianças para a importância do respeito pelos Direitos das crianças, nomeadamente o direito à educação.

Neste livro, cuja história sensibiliza a maioria dos alunos, Malala começa por contar como, por volta dos 10 anos de idade, gostava de assistir, juntamente com os seus irmãos mais novos, ao programa de televisão “Shaka Laka Boom Boom” no qual o jovem Sanju possui um lápis mágico que lhe permite tornar real tudo aquilo que desenha. Malala começa por desejar possuir também um lápis mágico que lhe permitisse desenhar belos vestidos para a sua mãe, uma bola de futebol para os seus irmãos, ou até uma fechadura para a porta do seu quarto para impedir os seus irmãos de entrar. No entanto, apesar da sua idade (10/11 anos), rapidamente se apercebe de que o mundo à sua volta necessita de Paz e as crianças necessitam de escolas com condições para estudarem, por exemplo.

Desafiados pela professora bibliotecária sobre o que desenhariam caso tivessem um lápis mágico, muitos foram os alunos que mostraram o seu intuito de desenhar um oceano sem plástico, um mundo sem doenças, nomeadamente sem Covid, um mundo com paz e harmonia e, claro, alguns desejaram ter muito dinheiro para poderem ajudar a sua família e amigos.

No final, a professora Filomena Lima disponibilizou um excerto do discurso de Malala nas Nações Unidas e a frase “Uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo” até suscitou alguns aplausos por parte dos alunos.





Se tiveres interesse, podes ver um excerto desse discurso: